13 de out de 2015

Latinha de Ouro-6- Ary Barroso

Olá, amigos...

a narração esportiva que eu postarei na seção "Latinha de Ouro", a sexta, homenageará o cantor, animador, compositor e narrador esportivo, o Ary Barroso.


6 de out de 2015

Latinha de Ouro: Júlio Cesar Santanna- Vasco 4 x Portuguesa 2

Nesta seção da "Latinha de Ouro", a meu ver, um dos maiores radialistas que já se teve no dial carioca: Júlio Cesar Santana, que empunhou os microfones nas rádios  Tupi e da Nacional
Nesta irradiação, Júlio Cesar, narra 6 gols, em uma partida em São Januário, com o Vasco da Gama aplicando uma goleada sobre a Portuguesa carioca por 4 a 2.

Júlio Cesar Santana, deixou o plano físico muito prematuramente e de forma "estúpida", em 1996: Estava descendo de um ônibus, e o motorista não viu ele descer do degrau e o radialista bateu com a cabeça e morreu.


O jogador Heleno de Freitas e A Crônica Radiofônica Esportiva

As reportagens esportivas acerca do futebol eram diferenciadas do que a gente acompanha na atualidade. Na década de 1940 havia um craque polêmico chamado Heleno de Freitas.
Não havia assessorias, jogadores sendo entrevistados com respostas ditas prontas e nem restrições com relação aos espaços de anúncios nos jornais. Às vezes o resultado de um certame aparecia, no máximo, escondido no pé da matéria.

No livro "Nunca Houve um Homem como Heleno", -sobre o craque nascido São João de Nepopomuceno, em Mina Gerais, e que defendeu o Botafogo e o América carioca, nos anos 1940 e 1950,- o autor Marcos Eduardo Neves, cada estádio havia um lugar apropriado para acomodar os speakers.

Em General Severiano, os narradores se ajeitavam em cabines coladas entre duas torres, na pista, tendo uma visão diagonal, quase que do corner.

Na Gávea(campo do Flamengo), também ao nível do gramado, havia uma espécie de cabine coletiva na lateral próxima à arquibancada, onde todos se aglomeravam para poder transmitir uma partida. Nas laranjeiras(campo do Fluminense), os radialistas subiam em cadeiras especiais. Lá do alto, inseguros, porém com visão privilegiada, irradiavam os matchs. Já em São Januário(campo do Vasco da Gama, era nas sociais), onde se sentam hoje os sócios proprietários, que se realizavam as pelejas radiofônicas.

Em um Botafogo e Madureira, cuja maior atração era o retorno de Heleno de Freitas aos estádios, estavam no campo do Vasco(o maior até a construção do Maracanã, em 1950), os radialistas Oduvaldo Cozzi e Gagliano Neto estavam preparados para irradiarem esta transmissão.

Havia uma diferença entre a narração entre Cozzi e Gagliano. Cozzi, era conhecido entre os colegas como Professor, por possuir uma narração clara e de fácil compreensão perante aos ouvintes, que numa roda de conversa entre as pessoas, em menos de 30 dias caía na "boca do povo".

"-Im-pe-di-do"- mandava assim que o bandeira pegasse seu instrumento de trabalho.

"-Pu-niu o juiz!" - se acontecesse alguma falta desleal.

Cozzi criava também expressões que caíam no gosto popular, como "Tapete Verde" e "Patina na Jogada".

Já Gagliano Neto, por sua vez, era impecável quando abria as transmissões. Tinha sempre na ponta da língua frases de efeito.

"-Céu totalmente azul nesta tarde em São Januário..."

E foi exatamente desta forma que o locutor se comunicou pela primeira vez naquele dia 13 de maio, momentos antes de o Botafogo partir em disparada do vestiário.

O humor dos torcedores é que não ficaria amistoso..








3 de out de 2015

Áudio no "Latinha de Ouro": Abertura do Show de Bola Nacional

Na seção "Latinhade Ouro", tratei para você, leitor-ouvinte, apresentarei um áudio da antiga abertura da jornada esportiva, na Rádio Nacional, chamada "Show de Bola Nacional".

Isabela Guedes

Antônio Cordeiro Lançou na Nacional(Rádio) um Programa Diferente- Por Levy Kleiman

Há alguns anos, o radialista José Rezende, me enviou várias fotos acerca o rádio esportivo. Esta matéria que eu vou expor, deve datar anos 1940, numa seção que tinha(ou Revista Manchete Esportiva ou numa gazeta qualquer que tinha uma seção chamada "Rádio Esportivo"- motivo pelo qual dei o nome para o meu "enésimo" blog voltado pro rádio esportivo). Caso vocês tenham a curiosidade, quando a matéria for citar "Distrito Federal", na época, era o Rio de Janeiro, e não Brasília. Outra curiosidade é que até os anos 70, não havia a frequência em KHz e sim em quilociclos, e as siglas, eram às frequências das emissoras.

A matéria que eu porei aqui será sobre o lançamento de um programa pela Rádio Nacional chamado "Bate Bola Nacional"(ainda está no ar pela mesma emissora, pelas rádios EBC,às 20 horas, às segundas às sextas-feiras). Boa leitura, leitor ouvinte.

Isabela Guedes.

_________________________________________________


Antônio Cordeiro lançou na Nacional Um programa Diferente

Por: Levy Kleiman 

A radiofonia esportiva no Distrito Federal está dia-a-dia, ganhando mais terreno. Recentemente a Rádio Guanabara, preparando-se para uma grande fase, passou a apresentar seis programas diários sobre assuntos esportivos, e um mês após a "C-8" ter iniciado esta grande programação especializado, a "E-8", emissora líder do "broadcasting" nacional lançou uma novidade no assunto. A Rádio Nacional entre todas as estações que irradiam os jogos de futebol era a única que não possuía uma programação de esportes nos dias úteis. Aliás em 1943, a emissora que ocupa os últimos andares do edifício "A Noite", apresentou diariamente durante vários meses a "Resenha Esportiva Brasileira", montada e redigida pelo autor destas linhas
, e apresentada por Gagliano Neto.

Inicialmente  no horário de 18:30 às 18:45, e posteriormente das 17:30 às 17:45. Antônio Cordeiro, que há vários anos comanda a equipe esportiva da Rádio Nacional, sentiu a necessidade de um contato mais amplo com os ouvintes das ondas curtas e longas da potente emissora, e após a sua visita a Portugal, a Espanha, quando transmitiu os jogos da temporada do Vasco da Gama, resolveu pôr em prática uma ideia que acalentava há muito. Dificuldades de horário no lotadíssimo espaço de tempo noturno da "E-8", impediram o imediato lançamento do programa. No dia 1º de setembro, às 18:30, o "Speaker-Cronista", anunciou pela primeira vez, o lançamento do programa "No Mundo da Bola". Trata-se de um autêntico "broadcast", porque  ao contrário dos demais programas não se limita ao noticiário, e apresenta reportagens, biografias e episódios esportivos radiofonizados, boletins noticiosos, e um concurso em bases inéditas para os torcedores. 

Este programa está sendo apresentado às segundas, quartas e sextas-feiras, das 18:30H às 18:45hs.
Sempre, porém, que houver uma novidade no setor esportivo, Antônio Cordeiro, irradiará um noticiário pormenorizado nos outros dias da semana, neste horário, ou então em outro momento em que tiver conhecimento do fato.




2 de out de 2015

Desenhos de Henfil

Ao longo dos anos, tenho visto aqui na internet, os vários traços que Henfil, o irmão do sociólogo Betinho fez em referência ao Flamengo e ao futebol como um todo. Henfil morreu jovem, em 1988, mas o legado dos traços em que ele imprimiu, ainda vale, para a minha quanto para as futuras gerações(sejam elas jornalistas, sociólogas ou pessoas comuns, como eu e/ou você caro leitor-ouvinte).


Isabela Guedes




Áudio do Peladinho- No Edifício Balança... Mas Não Cai



Em 1950, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro lançou um programa humorístico chamado Balança... Mas não Cai, escrito por Max Nunes. Em um quadro do programa, havia um personagem que dava a dose certa para um típico torcedor de futebol: o personagem Peladinho.

O personagem Peladinho, interpretado por Germano Augusto, era um fanático torcedor do Flamengo, que na maioria dos esquetes soltava o seguinte bordão: "Mengo, tu é o maior!". A audiência fantástica que a Rádio Nacional tinha, reverberando tudo o que nela era veiculado, publicado, ajudou a popularizar o jargão "Mengo" a feitura mais afetiva de tratar o clube da Gávea. Com esse termo, ajudou a ecoar nas arquibancadas, o incentivo ao clube rubro-negro carioca.

Agora, você, leitor-ouvinte, ficará com 1 apresentação do personagem Peladinho, cujo acervo é da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, sendo que um dos programas, é o programa completo Balança... Mas Não Cai, quando o personagem "dialoga" com a cantora Dalva de Oliveira. O áudio se encontra na seção "Latinha de Ouro".

Isabela Guedes

Áudio do No "Mundo da Bola"- Rádio Nacional e a Estreia de Jota Santiago na Rádio Nacional

Caro leitor-ouvinte,

nesta edição você ouvirá um trecho do áudio em que consta um dos programas pela Rádio nacional, chamado No Mundo da Bola(ainda no ar pela emissora). Neste áudio consta a participação do Apolinho, Washignton Rodrigues, como âncora e os demais radialistas. Ainda no áudio, consta a participação do saudoso Julio Cesar Santana, narrador esportivo neste áudio, pela Nacional, "dando passagem" para a chegada do Jota como narrador pela emissora Nacional.

O áudio se encontra na seção "Latinha de Ouro"... 

Isabela Guedes

  

Homenageado : Oduvaldo Cozzi

Caros leitores-ouvintes,

ao iniciar este novo ciclo de trabalho, convido vocês, a viajarem pelo túnel do tempo e relembrar a voz do locutor-professor, Oduvaldo Cozzi.

No ano passado, fui fazer um estudo científico sobre a importância do Cozzi para o radio esportivo brasileiro.

O áudio estará exposto a direita do blog na seção "Latinha de Ouro".

Isabela Guedes







Apresentação do novo projeto: o Rádio Esportivo Carioca

Olá, leitores ouvintes,

recomeço a partir de agora, um novo projeto, após ficar um bom tempo parada.
Para quem não me "conhece", me chamo Isabela Guedes, jornalista de formação, com alguma experiência em blogs voltados pro rádio esportivo. Não irei me alongar, pois o que vale é o conteúdo. Fiquem à vontade e sejam bem vindos ao lerem os posts e aos áudios, alguns cedidos pelo querido amigo e radialista José Rezende.

Isabela Guedes.